domingo, 11 de março de 2012

DEUS SEJA LOUVADO... NÃO MAIS NO SEU R$!



Há algum tempo saiu a seguinte notícia em 1 site de sátiras:
Dilma manda remover a frase “Deus seja louvado” do dinheiro a pedido dos ateus
Um pedido dos Ateus fez a Presidente Dilma mandar o Banco Central retirar a frase “Deus seja louvado” das cédulas de real. Os religiosos não gostaram e estão protestando para que o governo mantenha a frase e prendam os Ateus.
No pedido, formulado pelos Ateus, foi requerido também substituição da frase “Deus seja louvado” por “Deus não existe”, mas o pedido foi negado pela Presidente Dilma. “O Brasil é um país religioso, se eu coloco a frase “Deus não existe” nas cédulas quem deixará de existir serei eu”, disse.
Por causa da remoção da frase, a previsão é que haja conflito nas ruas. “Talvez seja preciso colocar o exército em alerta para evitar confrontos entre Ateus e Religiosos”, disse o Ministro da Defesa.

Para começar você leitor já reparou que na cédula do real existe a frase “Deus seja Louvado”?
Espero que sim, afinal hoje em dia usamos tanto o dinheiro de plástico (cartão) que este detalhe na nota muitas vezes nos passa batido.
Sei que esta notícia acima parece um pouco absurda a princípio, mas não pude deixar de pensar “e se fosse verdade”? Qual seria a reação do brasileiro? Cristão ou ateu? Será que os ateus se incomodariam tanto com uma pequena frase que passa batida aos olhos de muitos inclusive cristãos? E os cristãos, será que se manifestariam para defender esta frase de respeito e adoração que declara que seu país pertence a Deus? Querendo ou não isto é um caso de perseguição religiosa.

Nós brasileiros temos a fama de ser pacíficos, o que nos abre muitas portas estrangeiras, porém temos fama em nosso próprio país de ser um povo omisso, que muito critica seu governo, vota inconscientemente pois temos a cultura que melhor votar em qualquer um do que jogar o voto fora, sendo que voto nulo nada mais é que o poder único e individual de dizer que você não concorda e não é cúmplice daquilo por mais que a maioria dos brasileiros ajam ao contrário disso. Um povo que pouco age diante de tanta disparidade social, um governo que todos os dias toma importantes decisões e que não faz questão de nos prestar conta e nós muito menos interessados em tentar descobrir o que se passa.


E a presidente? Será que seria ousada ao ponto de remover esta frase da cédula? Rumores dizem que a mesma exerce práticas não cristãs, porém aprovou o estilo gospel brasileiro como gênero musical, e em sua gestão um lei está sendo votada para que todos os alunos rezem/orem o pai nosso antes das aulas começarem.


Em um país onde exceções se manifestariam se este caso fosse verídico, mas multidões de cristãos e ateus certamente protestariam pelo menos nas redes sociais (que por sinal viraram a maior concentração de revoltados, rebeldes, protestantes, pseudo-intelectoides, alienados e simpatizantes que abraçam qualquer coisa) se os feriados religiosos brasileiros tão adorados e desejados inclusive por aqueles que não acreditam nos santos homenageados fossem abolidos, eu pergunto a você e a mim: O que nós faríamos se sutis perseguições religiosas começassem a surgir na terra brasilis?
            (Texto do Blog: de Marcelo Targon - Vamos compartilhar o amor de Deus)