segunda-feira, 28 de novembro de 2011

O OUTRO EVANGELHO

E este evangelho do reino será pregado em todo o mundo, em testemunho a todas as nações, e então virá o fim.(Mateus 24:14)

Assim, como já vo-lo dissemos, agora de novo também vo-lo digo. Se alguém vos anunciar outro evangelho além do que já recebestes, seja anátema. (Galatas 1:9)

                                 Há um  " outro evangelho" sendo pregado no mundo. É um evangelho que atrai público, que dá ibop, casa cheia e grande audiência. Aqueles que o anuncia ficam famosos e se não enriquecerem, no mínimo, ficam bem financeiramente.
                                    Esse  "outro evangelho"  fala do que? qual é a sua proposta? Quem é a figura central dele?  O que ele tem produzido na alma das pessoas?
                                    
                                      Bem, esse "outro evangelho" é pernicioso, perigoso e maligno. O apóstolo Paulo disse que os anunciantes do  tal evangelho fossem amaldiçoados (disse Paulo:  seja anátema = amaldiçoado). Ele disse assim porque percebeu a sabotagem  dessa  mensagem , o estrago que  estava causando e  somos testemunhas  da miséria que causa ainda hoje, bem como o desvio óbvio da verdade de Cristo. O tema principal dele é dinheiro, ou seja, prosperidade financeira ou coisas correlatas como: casa própria, empresa, carrão, etc. O mecanismo para tanto são as campanhas com os mais variados títulos: Derrubando as muralhas de Jericó, Portas abertas, Derrubando gigante, Conquistando a terra que mana leite e mel, etc. 
                                     Eu falava sobre isso na curso de teologia e uma aluna disse: - "É pastor, se os pregadores não falar sobre prosperidade  e bênçãos o povo não vai, o local da reunião fica vazio." Essa é uma triste realidade. Porém, tem muita gente sendo despertada, as escamas dos olhos estão caindo e buscando o verdadeiro evangelho. 
                                     É uma ilusão, ou por que não dizer: uma maldade; utilizar-se de temas relacionados a bênçãos como chamariz para "fisgar" o povo. Isso é se aproveitar da simplicidade humana e desgraça alheia. Na verdade é isto o que muitos pregadores estão fazendo usando e abusando da boa fé dos crentes. E digo mais: Bênçãos não firmam pessoas na igreja e não os levam necessariamente a Deus.
                                      Outro mecanismo muito utilizado nas igrejas é o "sentir Deus". Pouco se ensina da palavra. Trabalha-se muito a emoção e gritam: "Receeeeeeeba! mais de Deus... receeeba! a unção... receeeba... receeeba..." O importante é sentir a unção, arrepiar-se, tremer, cair no chão. Tem que ter movimento - Sentir Deus ou unção para a maioria pentecostal e new-pentecostal é isso ai.
                                       Eu creio nos dons espirituais e manifestação do Espírito Santo. Não O limito no Seu agir; Ele é soberano. Todavia, o que tenho visto acontecer em muitos lugares chega a ser bizarro e patético. Um dos motivos de tudo isso  está acontecendo é que a liderança gospel na sua grande maioria não está interessada em desenvolver a consciência do Evangelho do Reino nas pessoas. Eles querem é desenvolver estratégia de como ter um bom público na próxima reunião para obter uma ótima arrecadação. Esses "ministros" mais desconstroem do que edificam, mais adoecem do que curam a alma do povo. Suas ministrações ensinam as pessoas a barganhar (negociar) com Deus, pedir bênçãos e buscar revelações que satisfaçam o ego.
                                       O "outro evangelho" vem proliferando mais e mais como uma praga ruim. São poucos os pregadores do Evangelho do Reino hoje em dia. Tenho compaixão das ovelhas desses ministros enriquecidos com mansões, jatinhos e dando shows enquanto as mesmas vivem abandonadas, até passando fome e ainda assim sendo coagidas a dizimar e ofertar do sofrido e suado salário que lutam para obter no final do mês.
                                       O Evangelho do Reino é simples, é puro, é verdadeiro, é poder de Deus, é motivado pelo amor e não pelo dinheiro. Este evangelho coloca tudo em seu devido lugar (Deus é o Senhor e soberano; o homem é pecador , mortal  e salvo pela graça;  o Diabo é anjo caído e condenado). 
                                        Posto isso, ouso concluir dizendo: Creio que uns dos motivos de  o fim ainda não ter vindo é que o evangelho pregado até então é o "outro" - o sabotado, o falsificado, o misturado e contaminado. Mas Deus tem reservado os seus profetas  legítimos que não se  prostraram perante Mamon. Estes pregarão o Evangelho do Reino sem pretensões outras que não seja conduzir vidas à verdade - e então virá o fim.
                                     
                                   

quarta-feira, 2 de novembro de 2011

MUSICAL EVANGÉLICO NA GLOBO

                                            "Você adora, a Som Livre toca" 
                                                    (Gravadora Som Livre)

É comunicado pelas redes sociais que a tv Globo está planejando para o ano que vem (2012) um programa musical de linha evangélica a fim de colocar em sua grade de programação.
É notório que nas  últimas décadas a música evangélica no Brasil tem se projetado de maneira considerável na sociedade obtendo grande aceitação . Os executivos "global" já estão mais do que convencidos que é rentável investir nesse negócio de adoração da igreja. Aliás, a gravadora Som Livre (ligada a Globo) faz uma chamada quando divulga os cds e dvds evangélicos dizendo: "Você adora, a Som Livre toca." 
Os homens de negócios sabem que o retorno é certo. Os "grandes" nomes da música gospel já deram mostras que o negócio é bom ao terem gravado nela.
     Dá para ficar feliz e comemorar por essa noticia?
Eu penso que é mais coerente ser cauteloso quanto a esse fato. Não recomendo nenhuma festa em função disso. Digo o que digo porque verificando  a situação espiritual da igreja brasileira bem como o nível de consciência do evangelho ser tão raso e superficial; só nos resta orar pedindo a Deus misericórdia.
      Acho preocupante quando as coisas santas, os dons e ministérios se profissionalizam. Penso que é questionável quando a gente prega, ensina ou canta para se fazer dinheiro.
        Na verdade é isso que a Som Livre quer dizer: " Pode cantar e dar shows  que nós vendemos o produto de vocês." A final de contas o público alvo (os evangélicos) é fiel, pois sabemos que corresponderá com os patrocinadores visto que estes pagarão caro pelas propaganda e  divulgação no horário.
         Mas, voltando sobre consciência rasa do evangelho, o que os cantores vão cantar lá? Será que entoarão as musiquinhas de sempre que falam  a Deus para Ele: "restitui, eu quero de volta o que é meu...", "Quem ti viu passar a prova e não ti ajudou, quando ver você na bênção vai se arrepender..." ou "tem fogo aqui, tem fogo ali"?
          Se essa turma for lá  somente para  cantar essas coisas que já sabemos, certamente pouco se produzirá nesta nação em termos de impacto do evangelho puro e santo. Portanto, o Brasil continuará do mesmo jeito: mergulhado no engano, corrupção, miséria, feitiçaria (por sinal, a Globo entende bem de feitiçaria; os  filmes e novelas são recheados disso). 
             Por certo, o musical dará grande audiência a emissora e os evangélicos dirão em tom triunfalista de sempre que Deus está exaltando o Seu povo na terra. Mas, aqueles que andam atento, não esquecem as piadas que a dona Globo fez e faz com Deus e sua Palavra, bem como o preconceito com os evangélicos nos personagens representados nas novelas; em que os mesmos são fanáticos, loucos e desvairados. Logo, não cairá nessa conversa bonita de "você adora a Som Livre toca." 
               Sabe, o importante é que nossa adoração toque o coração do Pai Eterno e produza  cura, fome e sede de Deus nessa terra brasileira tão sofrida e explorada; ao invés de ser tocada na globo para o povo ver que nos profissionalizamos musicalmente, porém, na realidade e na verdade:  estamos precisando mais de Deus, obrigado!   (Desculpe-me o trocadilho) .

Medite com carinho

Nele,  que  procura verdadeiro adoradores
Josenildo.